Extraordinária para votar reposição salarial teve tumulto e bate-boca em Umuarama

Extraordinária para votar reposição salarial teve tumulto e bate-boca em Umuarama


A primeira sessão extraordinária de 2019 na Câmara de Vereadores de Umuarama foi de desentendimento e discórdia entre vereadores de oposição e situação ao governo municipal.

Na pauta a discussão e votação de três Projetos de Lei que previam a revisão anual dos salários dos servidores públicos do município, secretários municipais, prefeito, vice-prefeito, vereadores, presidente da Casa e também servidores do Legislativo.

As discussões mais acaloradas foram protagonizadas pelos vereadores Deybson Bitencourt (PDT), líder da oposição, e Marcelo Nelli (SD), que faz parte da bancada de situação ao governo municipal, e oposição a atual mesa diretora que tomou posse no dia 1º de janeiro.

O desentendimento ocorreu por conta de duas emendas apresentada pelo vereador Marcelo Nelli, derrubadas pela maioria por terem sido consideradas inconstitucionais pela procuradora da Câmara Rosane Meyer, porque feriam o artigo 37 da Constituição Federal.

Inconformado, Marcelo Nelli também discutiu com o 1º secretário da Casa, vereador Jones Vivi (PTC), que para encerrar a contenda ameaçou abrir publicamente as contas de Nelli á época em que este foi presidente da Casa.

Os projetos de revisão salarial foram aprovados de forma terminativa por conta da dispensa de interstício, que é o tempo de espaço entre a primeira e segunda votação.

O valor da revisão anual dos salários foi de 3,75% correspondente a variação do IPCA do IBGE, no período de janeiro de 2018 a dezembro de 2018.

Deixe seu Comentário