Vereador justifica transferência e diz não ver problemas na mudança das datas da reunião da Comissão de Justiça e Redação

Vereador justifica transferência e diz não ver problemas na mudança das datas da reunião da Comissão de Justiça e Redação


Depois de ter sido cobrado para dar explicações sobre o motivo pelo qual não estaria cumprindo a lei que regulamenta a realização das reuniões comissões existentes na Câmara de Vereadores de Umuarama, o vereador Junior Ceranto (PSD), que preside a Comissão de Justiça e Redação, se pronunciou pela primeira vez sobre o assunto.

Em entrevista nesta sexta-feira (22) ele justificou a mudança das datas em que as reuniões ocorreriam e afirmou não ver nada de ilegal nisso, pois segundo o vereador, a lei lhe garantiria a possibilidade de convocar a reunião para um outro momento.

Apesar de não revelar o motivo que o levou a transferir a reunião da Comissão de segunda-feira (18) para terça-feira (19), afirmou que a mudança não teve o objetivo de travar os trabalhos da mesa diretora e que a transferência não teria atrapalhado a tramitação dos projetos.

Polêmica 
Na última segunda-feira (18) o vereador Jones Vivi (PTC) usou a tribuna da Câmara de Vereadores de Umuarama, durante a sessão ordinária, para pedir explicações sobre a não realização das reuniões das Comissões que acontecem em datas estabelecidas em Lei.
“Aqui não é a casa da mãe Joana. Vereador que não quer trabalhar pede pra sair”, afirmou o vereador durante o discurso.

Segundo o parlamentar duas das quatro Comissões do legislativo estariam descumprindo com o regimento interno, sendo elas, a Comissão de Justiça e Redação, presidida pelo vereador Junior Ceranto (PSD) e a Comissão de Economia, Finanças e Fiscalização, que tem como presidente o vereador Ronaldo Cardozo (MDB).
Em entrevista ao Bianca News desta quinta-feira (21), Jones Vivi, que é o 2º secretário da atual mesa diretora, falou sobre o assunto e pediu explicação aos colegas sobre o descumprindo da lei.

Durante a entrevista ele afirmou que a situação prejudica o andamento e tramitação dos projetos e que a procuradoria jurídica da Casa já está analisando a situação que pode inclusive resultar em cassação de mandato por quebra de decoro parlamentar.

Apesar de não revelar o motivo da transferência o vereador Junior Ceranto afirmou ter como comprovar que a mudança se deu por causa de uma situação justificável sem que isso fosse contrário à lei.

Já o vereador Ronaldo Cardozo (MDB), que preside a Comissão de Economia, Finanças e Fiscalização, deve se manifestar somente na terça-feira sobre o assunto. Ele também afirmar ter documentos que provam a necessidade da transferência e que isso não estaria em desacordo com a lei.

Ronaldo Cardozo falará sobreo assunto na próxima terça-feira (26) ao vivo no Bianca News, o principal noticioso da Bianca FM.

Deixe seu Comentário