Estudo do TCE aponta majoração na conta de água no Paraná

Estudo do TCE aponta majoração na conta de água no Paraná


Após barrar o aumento de 12,13% nas contas de água, o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR), que havia concedido medida cautelar suspendendo o reajuste, autorizou a elevação da tarifa em 8,37% nas contas de água e esgoto da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar).

Apesar de autorizar o reajuste o TCE determinou que a Sanepar realize uma auditoria no sistema utilizado para aplicar os reajustes, e que a Agepar institua, em até 90 dias, a metodologia que utiliza para avaliação dos aumentos que são propostos pela Sanepar.

Segundo o representante da Frente Noroeste contra a Tarifa Mínima da Conta de Água, o vereador de Xambrê, Carlos Meira (PSC), um estudo apresentado mostra que a empresa majorou os índices e que a mesma prática pode ter sido adotada em anos anteriores.

Em entrevista ao Bianca News nesta segunda-feira (27) ele falou sobre o assunto e destacou como a Frente Noroeste vem trabalhando para tentar barrar o reajuste e também derrubar a tarifa mínima cobrada que atualmente é de R$ 63 reais tendo ou não consumo.

Reajuste

O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) determinou que a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) está autorizada a reajustar a tarifa de água e esgoto, mas com aumento de até 8,37%. A autorização para o aumento, dentro do limite, foi definida pelo Tribunal no último dia 22.

 

No dia 13 de maio, a Sanepar informou a suspensão do reajuste de 12,13%, que havia sido aprovado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar), após uma medida cautelar do TCE.

Região

Os municípios de Paranavaí, no Noroeste, e Maringá, no Norte, se anteciparam a decisão e assinaram decretos barrando o reajuste, este último inclusive entrou com uma ação na justiça via Procom.

Em Paranavaí, uma liminar da justiça barrou o aumento de 8,37% autorizado pelo TCE-PR.

Taxa mínima

Outra discussão importante que vem sendo feita é com relação à taxa mínima cobrada pela Sanepar. Atualmente o valor é de R$ 63 reais. Segundo Meira a briga agora é para que esta taxa seja extinta, pois mesmo com o consumo zerado da conta o valor é cobrado.

 

 

 

Deixe seu Comentário